Grupo Premier

oBlog GP

Cartão de crédito para MEI: saiba como funciona   Blog Empresas

Cartão de crédito para MEI: saiba como funciona – Blog Empresas

Você se identifica com o microempreendedor que mistura as contas pessoais com as da empresa? Essa confusão é comum e nós garantimos: pode e deve ser evitada!

Confundir as contas dificulta visualizar e compreender as despesas do negócio e os gastos da pessoa física. É necessário, por exemplo, ter um planejamento e controle de impostos que o MEI precisa pagar, sendo fundamental ter uma conta profissional para a organização das finanças do seu negócio.

Por isso é importante ter uma conta-corrente PJ com um cartão de crédito para MEI, para ajudar na criação de um fluxo de caixa mais efetivo. Só assim, é possível ter clareza sobre as necessidades da empresa e ter uma previsão no médio e longo prazo, com base em análises seguras de períodos anteriores.

Neste artigo, vamos explicar as características de um cartão de crédito MEI, como ele funciona, para quais negócios ele é vantajoso, o que precisa para solicitá-lo e quais são os seus diferenciais. Continue a leitura para saber mais!

O que é um cartão de crédito MEI?

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) oferece a opção de cartão de crédito para os pequenos empreendedores com faturamento anual de até R$81 mil (valor de 2021). Trata-se de uma ferramenta que pode ajudar muito no desenvolvimento de pequenos negócios.

O principal objetivo do cartão é a sua utilização para despesas específicas da empresa. Além disso, o MEI pode efetuar compras diretas através de uma conta online criada pelo titular do cartão no portal BNDES. É possível, também, realizar compras indiretas, para a aquisição de produtos em transações com os fornecedores.

Como ele funciona?

O cartão BNDES para MEI oferece taxas atraentes de juros, podendo chegar no máximo a 1,05% ao mês, com a possibilidade de parcelamento da fatura em até 48 meses. O vencimento ocorre todo dia 15, e o pagamento é realizado a partir do débito automático na conta corrente do microempreendedor, informada no processo de solicitação do cartão de crédito.

Para qual tipo de MEI é vantajoso ter um cartão de crédito?

Tudo depende do tipo de microempreendedor que você é, como a sua empresa funciona e do volume de compras que precisa fazer. Assim, para negócios que trabalham com grandes quantidades de matéria-prima para a fabricação de determinado produto, utilizar um cartão de crédito pode facilitar o gerenciamento desse processo, já que permite compras parceladas.

Para os MEIs que precisam fazer muitas viagens a negócios ou reuniões externas, que geram gastos com cafés e restaurantes, por exemplo, também pode ser interessante porque o cartão ajudará a separar as despesas da empresa dos gastos individuais.

Mas se a empresa funciona somente com prestação de serviços e você precisa somente da sua mão de obra e de computador, sem necessidade de viagens, nem reuniões presenciais, cafés ou restaurantes, pode não ser interessante para o seu empreendimento ter um cartão de crédito, nesse momento.

Como conseguir um cartão de crédito MEI?

O primeiro passo para adquirir um cartão de crédito MEI é estar com toda a documentação da empresa em dia, além de ter residência fixa no Brasil. Após, é necessário abrir uma conta bancária PJ. Diferentemente das contas pessoais, em que a identidade é o CPF da pessoa física, essa conta é operada com o CNPJ da empresa.

Além de poder solicitar o cartão de crédito, ao abrir uma conta bancária empresarial, é possível separar as finanças da empresa das pessoais. Isso é fundamental para o controle e saúde do seu negócio.

Requisitos

Para solicitar o cartão de crédito MEI, o microempreendedor precisa ter uma conta corrente em algum dos seguintes bancos:

  • Banco do Brasil;
  • Banco do Nordeste;
  • Banco Santander;
  • Banestes;
  • Banrisul;
  • Bradesco;
  • BRDE;
  • Caixa Econômica Federal;
  • Itaú;
  • Sicoob;
  • Sicredi.

O próximo passo é acessar o site do BNDES e clicar na opção “solicite seu cartão”. É necessário preencher um formulário com informações da empresa, como CNPJ e a CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas). Antes de enviar a proposta, é preciso selecionar o banco em que o cartão deverá estar vinculado.

Documentação necessária

Após a solicitação pelo portal do BNDES, o empreendedor precisa comparecer à agência do banco escolhido para vinculação do cartão, e apresentar uma documentação, que inclui:

  • Certidão Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CND) ou Certidão Positiva com Efeitos de Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CPEN), expedidas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) e Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN);
  • Certidão Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CND) ou Certidão Positiva com Efeitos de Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CPEN), expedidas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) e Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN);
  • certificado de regularidade do FGTS;
  • comprovação de regularidade de entrega da Rais;
  • declaração que comprove estar com situação regularizada junto a órgãos públicos e legislação pertinente, conforme o modelo que consta no menu ‘regra’, no site do Cartão BNDES.

Caso a solicitação tenha sido negada, é possível solicitar em outro banco, pois cada instituição bancária tem suas próprias políticas de concessão de crédito. É importante observar que, considerando o limite de faturamento do MEI, de até R$81.000,00 por ano, e ter apenas um funcionário, caso o empreendimento evolua, será necessário buscar outro registro e cartão com uma cesta de serviços para atender a essa demanda.

Quais são os diferenciais do cartão MEI em relação às demais modalidades?

O grande diferencial do cartão de crédito para MEI é que ele oferece soluções pensadas para as necessidades do microempreendedor individual. Além disso, ele proporciona os seguintes benefícios:

  • aplica uma taxa de juros de 1,17% ao mês, — muito menor do que a adotada para pessoa física.
  • aumenta a capacidade de negociação com outras empresas — possibilidade de prazos e condições de pagamento diferenciados, que pessoas físicas não conseguem estabelecer;
  • auxilia no desenvolvimento da empresa;
  • facilita transações com fornecedores;
  • oferece melhores condições para contratação de empréstimos;
  • parcela em até 48 vezes;
  • permite organizar as finanças — separando tudo o que deve ser declarado em Nota Fiscal, fundamental para garantir a regularidade junto à Receita Federal e fazer a declaração de Imposto de Renda para MEI;
  • proporciona segurança nas transações;

Mas é preciso tomar cuidado e ter atenção à organização das finanças para não incorrer em riscos. Como acontece com a utilização de qualquer cartão de crédito, não saber usá-lo pode levar ao endividamento. Os parcelamentos longos trazem benefícios apenas quando há controle para honrá-los, do contrário, podem se tornar uma bola de neve.

Como você pôde verificar, o cartão de crédito para MEI ajuda no desenvolvimento da microempresa. Além de separar as finanças pessoais das profissionais, ele oferece benefícios que a modalidade pessoa física não proporciona.

Gostou deste artigo? Então, assine a nossa newsletter para receber conteúdos sobre MEI, diretamente em sua caixa de e-mail!

Fonte: empresas.serasaexperian.com.br/blog/cartao-de-credito-para-mei-saiba-como-funciona

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram